ESPIRITISMO E SEXO - Como o espiritismo ve o ato sexual entre um homen e uma mulher?Qual a relacao do ato sexual com a espiritualidade?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ESPIRITISMO E SEXO - Como o espiritismo ve o ato sexual entre um homen e uma mulher?Qual a relacao do ato sexual com a espiritualidade?

Mensagem  kazuleica em Sex Nov 28, 2008 6:01 pm

O Espírito Emmanuel elucida, com sabedoria, que, em torno do tema sexo, "será justo sintetizarmos todas as digressões nas normas seguintes:
Não proibição, mas educação.
Não abstinência imposta, mas emprego digno, com o devido respeito aos outros e a si mesmo.
Não indisciplina, mas controle.
Não impulso livre, mas responsabilidade. Fora disso, é teorizar simplesmente, para depois aprender ou reaprender com a experiência. Sem isso, será enganar-nos, lutar sem proveito, sofrer e recomeçar a obra da sublimação pessoal, tantas vezes quantas se fizerem precisas, pelos mecanismos da reencarnação, porque a aplicação do sexo, ante a luz do amor e da vida, é assunto pertinente à consciência de cada um."



Todos nós trazemos os temas particulares com referência ao sexo. Atendendo à soma das qualidades adquiridas, na fieira das próprias reencarnações, nos revelamos, no Plano Físico, pelas tendências que registramos nos recessos do ser. Cada pessoa se distingue por determinadas peculiaridades no mundo emotivo. O sexo se define desse modo, por atributo não apenas respeitável, mas profundamente santo da Natureza, exigindo educação e controle. Não tem lógica subtrair as manifestações sexuais dos seres humanos, a pretexto de elevação compulsória, ou deslocá-las de sua posição venerável a garantir-lhes a libertação. Sexo é espírito e vida, a serviço da felicidade e da harmonia do Universo.


A energia sexual, como recurso da lei de atração, na perpetuação das espécies, é inerente à própria vida, gerando cargas magnéticas em todos os seres, em face das potencialidades criativas de que se reveste. Nos seres primitivos, situados nos primeiros degraus da emoção e do raciocínio, e, ainda, em todas as criaturas que se demoram, voluntariamente, no nível dos brutos, a descarga de semelhante energia se opera por automatismo orgânico inconsciente. Isso, porém, custam-lhes efeitos angustiantes a lhes lastrearem longos e penosos períodos de expiação, presos a existências menos felizes, nas quais, pouco a pouco, a vida lhes ensina que ninguém abusa de alguém sem carrear prejuízo a si mesmo. Na medida em que a individualidade evolui, passa a compreender que o sexo requer o impositivo do discernimento e responsabilidade em sua aplicação, e que, por isso mesmo, deve ser controlado por valores morais que lhe garantam o emprego digno, seja na criação de formas físicas, seja artística, cultural, comportamental, propiciando a elevação espiritual do ser humano e, conseqüentemente, a evolução do Planeta.


O sexo, no ser humano, conforme se expresse, terá conseqüências felizes ou infelizes, construtivas ou destrutivas, pois não depende da sua função em si mesma, mas, fundamentalmente, do seu usuário. Atualmente, comenta-se a possibilidade da legalização das relações sexuais livres, como se fora justo escolher companhias, apenas, para a satisfação do impulso genésico, qual instrumento de troca ou indivíduo descartável. Relações sexuais, no entanto, envolvem consciência e responsabilidade. Homem ou mulher, adquirindo parceira ou parceiro para a conjunção afetiva, deve canalizar suas energias sexuais a um propósito elevado, pois, pensando tão-somente em si mesmo, a frustração é imediata.

Um Grande Abraço! Basketball

kazuleica

Mensagens: 6
Data de inscrição: 25/11/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Espiritismo e sexo

Mensagem  Neusinha em Dom Dez 21, 2008 10:42 am

Relações sexuais, no entanto, envolvem consciência e responsabilidade.

Muito interessante todo texto, mas gostaria de comentar a frase acima.
Vemos hoje em dia, a maioria das pessoas praticando o sexo sem consciência e sem responsabilidade, como ouoço muito as pessoas estão "pelo sexo", não se importanto pela essencia do outro ser, não se importando pelo sentimento que a outra pessoa pode nutrir.
Ouve-se muito aquela frase..ah!estamos aqui para aproveitar a vida que é curta, mas que maneira mais "preta e branca" de aproveitar a vida?
As pessoas estão se importando com números, como se fosse essa a finalidade dos relacionamentos, se eu não transei com X pessoas, não faço parte do mundo, nao sirov para meu rol de amigos.
E uma coisa interessante q persiste eé o vazio que existe nestas pessoas, o qual elas mesmo não entendem...

Neusinha

Mensagens: 5
Data de inscrição: 21/12/2008
Idade: 42
Localização: POA/RS

Ver perfil do usuário http://www.cre1.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vida e Sexo - Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel

Mensagem  Hamilton em Qua Set 09, 2009 12:45 am

"Sexo é espírito e vida, a serviço da felicidade e da harmonia do Universo. Conseguintemente, reclama responsabilidade e discernimento, onde e quando se expresse. Por isso mesmo, nossos irmãos e irmãs precisam e devem saber o que fazem com as energias genésicas (sexuais), observando como, com quem e para que se utilizam de semelhantes recursos, entendendo-se que todos os compromissos na vida sexual estão igualmente subordinados à Lei de Causa e Efeito; e segundo esse exato princípio, de tudo o que dermos a outrem, no mundo afetivo, outrem também nos dará."
do livro "Vida e Sexo", Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel

" O dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre arbítrio. O aguilhão da consciência, guardiã da probidade interior, o adverte e sustenta; mas, muitas vezes se mostra impotente diante dos sofismas da paixão. Fielmente observado, o dever do coração eleva o homem; porém, como determiná-lo com exatidão? Onde começa ele? O dever principia sempre, para cada um de vós, do ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranquilidade do vosso próximo; acaba no limite que não desejais ninguém transponha com relação a vós".
de " O Evangelho Segundo o Espiritismo", cap XVII, de 1863


"Em matéria de afetividade, no curso dos séculos, vezes inúmeras disparamos na direção do narcisismo e, estirados na volúpia do prazer estéril, espezinhamos sentimentos alheios, impelindo criaturas estimáveis e nobres a processos de angústia e criminalidade, depois de prendê-las a nós mesmos com o vínculo de promessas brilhantes, das quais nos descartamos em movimentação imponderada.
Toda vez que determinada pessoa convide outra à comunhão sexual ou aceita de alguém um apelo nesse sentido, em bases de afinidade e confiança, estabelece-se entre ambas um circuito de forças, pelo qual a dupla se alimenta psiquicamente de energias espirituais, em regime de reciprocidade. Quando um dos parceiros foge ao compromisso assumido, sem razão justa, lesa o outro na sustentação do equilíbrio emotivo, seja qual for o campo de circunstâncias em que esse compromisso venha a ser efetuado. Criada a ruptura no sistema de permuta das cargas magnéticas de manutenção, de alma para alma, o parceiro prejudicado, se não dispõe de conhecimentos superiores na autodefensiva, entra em pânico, sem que lhe possa prever o descontrole, que muitas vezes, raia na delinquência. Tais resultados da imprudência e da invigilância repercutem no agressor, que partilhará das consequencias desencadeadas por ele próprio, debitando-se-lhe ao caminho a sementeira partilhada de conflitos e frustações que carreará para o futuro. Perceberemos finalmente que a Justiça Divina alcança também os contraventores da Lei do Amor e determina se lhes instale nas consciências os reflexos do saque afetivo que perpetram contra os outros.
Daí procede a clara certeza de que não escaparemos das equações infelizes dos compromissos de ordem sentimental, injustamente menosprezados, que resgataremos em tempo hábil, parcela a parcela, pela contabilidade dos princípios de causa e efeito. Reencarnados que estaremos sempre, nesse sentido, até exonerar o próprio espírito das mutilações e conflitos hauridos no clima da irreflexão, aprenderemos no corpo de nossas próprias manifestações ou no ambiente da vivência pessoal, através da penalogia sem cárcere aparente, que nunca lesaremos a outrem sem lesar a nós."

Quando cada criatura for respeitada em seu foro íntimo, para que o amor se consagre por vínculo divino, muito mais de alma para alma que de corpo para corpo, com a dignidade do trabalho e do aperfeiçoamento pessoal, de vez que a compreensão apaziguará o coração humano e a chamada desventura afetiva não terá razão de ser."

do livro Vida e Sexo,pelo espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, 1970
Paz haja em todos os corações...

Hamilton

Mensagens: 1
Data de inscrição: 27/08/2009
Idade: 34
Localização: Belo Horizonte MG Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum